Sua estadia e a bagunça que você deixou

29 de janeiro de 2017

Foto: We Heart It
Foi rápido. Você nem chegou de mansinho, batendo na porta e perguntando se podia entrar. Não passou pelo tapete para tirar o farelo do fundo do seu pé. Não olhou para os dois lados para ver se a casa já estava ocupada por outro. Não fez nada disso. Você simplesmente aproveitou a brecha no portão e foi direto para o sofá. Quando eu me toquei com o que estava acontecendo, você já estava com os pés na minha mesinha de centro enquanto eu te servia bolachas e cappuccino. Foi mais ou menos assim que eu vi você chegando na minha vida.

Avassalador. Incrivelmente silencioso. Voz mansa. Jeito fofo. Carinhoso. Prometeu céus e terras. Eu, como sempre, acreditei no que me disse. Levei a sério cada uma das coisas que me falou. Coloquei fé onde não deveria ter colocado nada. Agradeci por ter chegado na minha vida. Esqueci que, na verdade, você não era de confiança. E, como era esperado, você não cumpriu com o que havia prometido. Eu deveria ter desconfiado das suas conversas, risos, promessas e beijos na testa. Eu deveria ter desconfiado. Falhei.

Você sujou meu tapete de farelo. Marcou meu sofá com o peso do seu corpo. Deixou a marca da xícara na mesa. Levantou e foi embora. Simplesmente. Aproveitou que eu já tinha fechado a porta achando que você ficaria. Concentrou em fazer a festa, largar a sujeira e seguir sua vida. De outra maneira. Com outra pessoa.

Eu sinceramente não sei se ainda consigo te agradecer por isso. Não sei se preciso. Não sei se é realmente necessário. Não sei se sou grata por me mostrar que não devo confiar em pessoas como você. Não sei. Eu também não sei se devo te desculpas. Se devo seguir minha vida sem mágoas. Sei que sigo. E sou grata por você ter, finalmente, deixado o meu coração. E dado espaço para que apenas uma pessoa o ocupe: eu mesma.

Depois da sua ida, eu fiz diversas coisas. Com a casa suja mesmo. Até que resolvi limpar o resto que você havia deixado. O resto de farelo de biscoito. O resto de cappuccino na xicara. O resto de sujeira no tapete. Por agora, tenho me concentrado em apenas uma coisa: limpar a sujeira que deixou. E eu ainda não consigo ser grata por isso. Porém, de qualquer forma, obrigada por ter ido embora, meu amor. Obrigada.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada!