Pode entrar, meu bem

23 de abril de 2015

Imagem: We heart it
Pode entrar, mas não repara na bagunça. Pode vir, mas promete que não vai reparar na xicara de café marcada por outras bocas? Prometo não servir no mesmo copo para você. É que, você sabe, todos nós temos um passado e eu bem tive o meu. Quer a gente goste ou não.

Você pode entrar. Deixo até colocar o pé no sofá. Mas tira o sapato logo na entrada que é para não marcar demais. Venha, por favor, de pés descalços, pisadas macias. Gosto assim. Não vou te oferecer água gelada que é para não marcar a mesa de madeira na hora que você repousar o copo. Vou te dar um pouco de chocolate quente numa xícara bem linda para que entenda toda a minha doçura. Meu excesso de açúcar não vai atrapalhar, prometo.

Pode entrar, mas dá uma conferida se a sua roupa está inteira, o coração intacto e a mente aberta. Não suporto mais ser a cura de ferida alheia e ser largada após o processo de cicatrização.Você pode entrar, ficar à vontade. Mas vê se não fica cutucando aquela feridinha ali do sofá, você promete? Visitas passadas marcaram a sala de estar da minha vida e eu não consegui esquecer essa marquinha. Nem tento mais concertar, porque descobri que nessas vidas poucas coisas do coração têm concerto.

Você pode entrar, viu? Mas não repara na bagunça não. Você chegou de surpresa, não tive tempo de arrumar a casa. A baguncinha é por conta das surpresas da vida. Promete para mim que, se você estiver mesmo afim, você me ajuda a colocar tudo no lugar? Prometo tentar te ajudar também. Você pode entrar. Meu coração está aberto e ansioso para te receber. Só não repara demais, por favor.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada!