Sobre fingir e não simplificar

31 de outubro de 2014

Foto: We Heart It
Fingi que não te vi. Passei correndo do seu lado para não chamar muita atenção, mas vi quando virou a cabeça e levantou a mão como se fosse falar algo. Olhei para trás bem rápido e lá estava você, com a mesma cara de sempre. Cara de quem não sabe como dar o próximo passo. Cara de quem não sabe se fica ou se vai. E é esse o seu problema. É muito gesto e quase nada de atitude. Nem palavras você ousa dizer. Nem nos seus olhares você deixa transparecer. Se tivesse gritado, eu teria voltado. Se tivesse me segurado pelo braço, eu teria olhado em seus olhos. Se tivesse corrido junto comigo, eu teria deixado você ficar do meu lado.

Fingi que não te entendi. Ignorei todas as mensagens subliminares que deixou pelo caminho como forma de pedir que fosse mais explícito, mais sincero. Fiz que não entendi os abraços, os sorrisos, as meias palavras ou as meias atitudes. Mas sei que não consegui. Não consegui porque sei que sou muito mais clara do que você e meu meio olhar basta. Bastou eu sorrir e você já entendeu tudo que quis dizer. Eu sei. Eu sei.

Fingi que não me importei. Mas sonhei que me explicava cada detalhe de cada coisa que um dia você tentou falar. Voltei para casa com uma interrogação pairando sobre meus pensamentos e uma vontade imensa de só sair do seu lado quando você soubesse ser menos metódico e muito mais simples. Também não funcionou esse teatro de não me importar. Porém, enquanto não decide o que faz, ter você ocupando minha mente me impede de pensar em muitas outras coisas - ache isso bom ou não.

Fingi. Ou tentei fingir, não sei ainda. Mas sei que sabe muito (ou tudo) sobre qualquer coisa que eu vá tentar esconder. E enquanto tento te impedir de perceber a verdade, continuo torcendo para que você seja menos complicado e queira simplificar tudo. Apenas.

2 comentários:

  1. Ai que texto lindo! Adorei, Dreisse Drielle!
    Conheci o site por indicação da Karine Rosa. Muuuuito bacana!
    A verdade é que essa coisa de fingir está cada vez mais comum, tudo porque as pessoas complicam demais. Triste, viu!

    Beijos, e prazer!
    http://sentimentalismodesmedido.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Que lindo texto! Os encontros e desencontros da vida, hmf...
    E o pior é que essas pessoas misteriosas sempre me ganham, parecem querer dizer algo, mas não dizem. Parecem querer fazer algo, mas não fazem. Isso se torna um enigma pra mim.
    Adorei seu blog, layout lindo.
    Boa semana!

    ResponderExcluir

Obrigada!