Meias e metades

21 de maio de 2014


Você deveria dar meia volta e ir embora antes que eu queira ainda mais que você fique. Porque volta e meia seu meio fantasma me assombra e domina meu coração por inteiro. Inteira ainda estou depois de suas idas e vindas. Meu amor nunca chegou na metade. E seu sempre me desdobrei para ocupar todo espaço da cama que você deixou. 

Você nunca vem por completo. Nunca veio. Temo nunca vir. Sua presença é sempre pela metade e seus passos nunca deixam marcas. Todo cuidado do mundo para não ferir alguém que por contra própria se feriu sozinha. Gosto de tomar para mim as responsabilidades da sua ausência de marcas. De meios desejos. Meios beijos. Meios corpos. 

Largue essas meias, meu bem. Venha de pés descalços, alma nua e coração brando. Tenho o amor que precisa e os espaços para que possa marcar seus pés. O calor na medida certa para te aquecer nesse inverno. A paz necessária para te livrar do inferno. Sem medos desnecessários. Sem metades interrompidas. Sem meias, sem voltas. 

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada!