As mentiras que eu sempre contei

6 de dezembro de 2012



Não sou esse poço de calmaria. Meu guarda-roupa é tão bagunçado quanto o seu e eu odeio esses sites de mulherzinha moderna do século XXI. Uso minha intelectualidade para fazer minha delicadeza sobressair, mas adoro a cultura das artes marciais. Não preciso da sua ajuda para abrir o pote de azeitona, nem para destravar a torneira que eu mesma apertei mais forte minutos antes. Quanto mais você odiava uma peça do meu armário, mais eu a usava para sair longe de você. Nunca te contei dos meus flertes, dos meus outros amores, nem das noitadas que só terminavam depois das 8 da manhã. Nunca te contei sobre o meu passado - não nos detalhes que você deveria ouvir.

Acho que omiti parte daquela história que você vivia me questionando. Mas, meu querido, nunca foi sua obrigação saber de nada disso. Eu escondi certezas, falei sobre mentiras, usei de hipóteses e confirmei algumas dúvidas. Tudo para me proteger. E isso nem é crueldade porque eu nunca pedi que invadisse meu mundo e usufruísse dos meus lençóis. Bancar a garota romântica dá trabalho e é hora de deixar a máscara cair.

Tudo bem que talvez a ingenuidade seja sim meu segundo nome, mas sempre estive a beira da malícia. Joguei-me de penhascos, vivi coisas que meio mundo duvida e deixei tudo por debaixo do meu sorriso. Só conto para quem merece escutar, para quem tem eficácia suficiente para separar a mulher que fui da mulher que sou. Já subi em cima da mesa daquele bar, dei minhas crises, meus shows e já briguei com muita gente. Já falei mal de você – mas isso é história para outro texto.

Não se assuste. Meu semblante por trás do disfarce é muito mais interessante do que possa parecer. Só estou me desfazendo de velhas roupas, algumas tralhas e antigos costumes. Não estou te pedindo para ficar. A ideia de te deixar ir em meio a tudo isso é tentadora, mas eu ainda te darei o poder de escolha. Só que, meu bem, tem que ser rápido. Já escolheu?

1 comentários:

  1. Lindo, você manda muito bem ! Vou postar no meu blog, mais claro, com seus devidos créditos!

    ResponderExcluir

Obrigada!