O fim do sentimento

14 de junho de 2012


Ando me sentindo livre das tuas garras.  Me sentindo livre dos teus conceitos, escolhas e julgamentos. Ando me sentindo tão completa que não deixo que tu atravesse-me. Porque, meu querido, a gente custa a abrir mão nessa vida e eu, em vez de abrir, fechei-me e te tirei no sufoco, mas com gosto daqui de dentro. Porque não me agride andar ao teu lado sem tocar-te. Pelo contrário, me alivia saber que toca minha mão, mas não chega nem perto do meu coração mais.

As lágrimas secaram, o sentimento petrificou e não ficou mais nada se quer mesmo saber. Nem a marca da tua mão nas minhas costas, nem a marca das tuas palavras doentias na minha cabeça. O fim do sentimento consegue ser mais triste do que o fim de uma história, mas a certeza de um recomeço tomou-me de ti e pela primeira vez eu estou feliz por isso.

1 comentários:

Obrigada!