Mais uma noite...

30 de janeiro de 2012

Aquela tinha tudo para ser uma noite como qualquer outra, mas ela sabia que não seria. Apesar do calor, o vento lá fora sacudia a cortina do seu quarto fazendo o arrepio subir por todo o seu corpo enquando ela andava pelo corredor com um copo de água. Ela nem sequer olhou às horas, pois sabia que era tarde da noite e mais uma vez a insônia, que se fazia tão presente como nunca fora, havia vindo lhe visitar.

No momento em que se deitava novamente para tentar pegar no sono, sua mente foi atacada por pensamentos insanos, preocupações corriqueiras e tudo que ela não queria se lembrar. E isso, ela sabia, lhe tomaria o sono por todo o resto da noite. Uma, duas, três horas depois e a vontade de dormir não havia sequer vindo lhe dar um oi. Seu coração estava disparado e a vontade de chorar chegava tão de mansinho que ela nem sequer conseguia correr. Escorreu uma lágrima aqui, outra ali e por fim ela se rendeu a todas aquelas preocupações diárias e chorou feito uma criança sem nem saber, afinal, o que lhe causava tanto incomodo.

Após um turbilhão de lágrimas, lavou o rosto mais uma vez e foi vencida pelo cansaço. O dia amanheceu e ela, como quem deve mostrar que nada lhe aflige, por fim levantou da cama e foi em direção ao mundo lá fora com o coração na mão e o sorriso no rosto.


Sobre aquilo que você não me deixa entender

24 de janeiro de 2012

Eu sei que é dificil entender, às vezes nem eu consigo pra ser sincera. Mas sei que você é bom nisso. Em me amolecer, em dizer palavras doces, em me fazer perceber o quanto posso estar errada e o quanto eu posso mudar. Eu também acredito na sua mudança, caso você não saiba. Acredito em nós dois.

Às vezes acho que sou um teste de paciência: testo seus limites, sua paz, sua capacidade de manter a calma e em contra-partida você me mostra o quanto é capaz de ser maleável a cada um dos meus ataques. Eles nunca foram de propósito, eu juro. Mas é que vira-e-mexe você me puxa de volta para a realidade de um jeito que me faz querer chorar sempre que eu percebo que algo pode dar errado.

A maior parte de mim esperou muito tempo por isso e a outra parte nunca acreditou que um dia eu fosse conseguir. Pode não parecer também, mas essas partes são tão realistas quanto sua razão que me mantém firme cada vez que consigo perder as estribeiras por motivos futéis. Eu nunca disso isso, mas sou extremamente grata por saber que tenho alguém que me encanta o suficiente para eu querer me manter entre os trilhos de equilíbrio do coração e da cabeça. 

Talvez eu nunca entenda o que é isso em você que me faz querer tudo isso. Talvez nós nunca consigamos entender o que é isso que nos mantém tão ligados. Por agora, só peço que eu não perca essa vontade. Que você não perca toda essa sua paciência. Que nós não desfazamos esse laço que nos mantém assim: braços dados e firmes rumo ao futuro.

Afinal, o que as mulheres esperam de um homem?

21 de janeiro de 2012

 foto da @

Não esperam muito, eu garanto. Fazendo parte desse fiel grupo que se preocupa cada vez mais com o sentimento (falo por algumas e não por todas), garanto que não é nada complicado entender o que esperam em um  homem. 

Não sei ao certo, mas homens tem milhares no mundo e o que de fato procuram talvez seja o amor. Exatamente por isso, não deixe que uma mulher se apaixone somente pelo que você tem a oferecer. Faça com que ela goste de você. No fundo, talvez nenhuma mulher saiba exatamente o que quer, mas acredito que elas só querem alguém que tenha uma sensibilidade suficiente para saber diferenciar o dia em que elas precisam de um abraço amigo do dia que querem um beijo mais caliente. Alguém que saiba instigar o suficiente para que ela queira mais. Que divida seus segredos sem mostrar que isso representa uma ameça. Que não assuste, não pule fases. 

Mulheres gostam de saber o que está por vir, mas não querem um cara completamente prevísivel. Mulher gosta de mensagem no meio da tarde, bombom de vez em quando no fim de semana, um convite inesperado, um beijo na bochecha com gostinho de carinho. Tente aprender a sutil diferença entre um dia de carência e um dia de conversa - eles vêm aos montes e entender o que difere um do outro pode causar milagres.
Não precisa entendê-las por completo, saiba somente respeitar. Respeite sua TPM, saiba compreender suas crises. Não aceite qualquer atitude fútil, mas aprenda a dose necessária para conviver em harmonia com elas. Se necessário (e muitas vezes é), saiba respeitar até o tempo que ela leva para arrumar: a demora não é por mal, sério.

Acima de tudo, se tiver apaixonado, mostre. Não é vergonha nenhuma lembrá-la disso. Entenda que existem os apaixonados (equilibrados) e os melosos. Queira estar na primeira categoria. Mulher gosta de ser lembrada do quanto é desejada, amada ao invés de saber que existe um cara grudento que a sufoca. Uma vez ou outra ela pode estar falante demais, carente demais ou sossegada demais e eu te garanto: Isso passa. Algumas mulheres vivem de fases e se acha que merece, mostre que quer permanecer em todas.

Lembre-se: Dizer um 'eu te amo' uma, duas ou três vezes não faz mal. Se ela não ouvir de você, ela vai querer ouvir de outro e no dia que isso acontecer, meu caro, eu sinto muito por você

Vem cá, vem

19 de janeiro de 2012



Eu não sei porque ainda insisto. Não sei que medo é esse de finalmente cansar de insistir e ver que pra você nada mudou. Não sei o que você carrega consigo que toma minha alma e atormenta minha paz toda vez que olha nos meus olhos. Porque você bem sabe que eu gosto de você, mas aposto que nunca imaginou porque afinal fujo sempre que sinto suas palavras na minha direção. 

Eu sempre aceitei suas provocações e me cansei de terminar o dia por não entendê-las ate porque apesar de não escondermos nada um do outro, é impossível esconder esse abismo que me dilacera o coração sempre que vejo seus olhos trocando as direções. Maldita sensação! De tantas (e que fosse qualquer uma), tinha que ser justo essa?

Vem cá e me diz que ainda dá pra mudar alguma coisa, que entende minhas indiretas, que reconhece meu esforço e que sempre acreditou que daríamos certo. Vem cá e me abraça de mansinho, tampa meus olhos e só solta para dizer que agora eu posso enxergar o mundo junto com você.

Aquilo que ninguém vê

17 de janeiro de 2012


Não tenho nada contra palavões. Nem programas televisivos de fim de semana e nem contra música brega. Não tenho nada contra mesmo. Porque eu acabei de descobrir que o que faz a gente são esses detalhes que todo mundo julga, mas ninguém sabe porque ocorre. Isso é a autenticidade que a gente simplesmente não revela para o mundo, porque o mundo não precisa de tais revelações.

Porque eu acho uma tremenda falsidade desse povo que vem querendo posar de pseudo-cult e dizer que não assiste BBB ou que não lê um romance clichê porque aquilo é uma afronta ao seu intelecto. Mais falso ainda é esse povo que diz para os quatro mundos que é fã de tal autor simplesmente porque leu uma frase no "quem sou eu" do orkut. E, pior que tudo isso ainda, são as pessoas que adoram aparecer. Tem gente que adora dizer que bebeu até vomitar ou que tomou não-sei-quantos calmantes para dormir porque sofre de insônia, agora vem cá e me conta: qual a finalidade disso? 

Porque eu, na verdade, acredito que a gente é aquilo que a gente não conta, aquilo que o mundo não sabe. Eu sou a meia no pé em um dia ensolarado que adora sair pulando só porque o chão está gelado. Você é aquilo que você faz e aquilo que ninguém te vê fazendo.

E, vou ser sincera, não carrego nenhum preconceito por quem diz que se diverte assistindo "vídeo cassetadas", até porque, vou confessar, também adoro essa parte do meu fim de semana. 

O que vi da vida

8 de janeiro de 2012

A vida muda. O tempo inteiro. A gente não pode nem se iludir demais e ficar confortável demais com as nossas vitórias, e nem ficar triste demais, arrasado, deprimido demais com as nossas derrotas. Porque tudo isso muda, tudo isso passa. E ter essa certeza de que vai passar é reconfortante. A gente tem que ter essa consciência de que a vida passa, de que a vida muda, muito, as coisas mudam e a gente tem que saber aproveitar o melhor de cada momento que a gente está vivendo (...) Eu quero ser eu. A vida é muito curta, para você ficar brincando de personagem, fazendo o que você não quer fazer, sendo o que você não quer ser, só para as pessoas pararem de falar certas coisas de você. Deixa falar. Eu sou eu e pronto e acabou. Eu acho que a gente não pode se fechar. Ás vezes as pessoas se fecham muito. Para o que o outro tem a dizer, para o que o outro tem a ensinar, para o que os momentos que a gente está vivendo tem a ensinar para a gente, para o que as derrotas que a gente vive tem a ensinar para a gente, para o que os mais velhos tem a ensinar para a gente. Ás vezes a gente se fecha um pouco. Porque fica ou olhando para o próprio umbigo ou porque está inseguro ou porque não confia naquilo, não quer se entregar e tudo mais. Seja por qual motivo, a gente se fecha e eu já vi muito isso, eu já vivi isso. E eu acho que a gente está aqui para aprender e se a gente não se abrir, não abrir a cabeça, os pensamentos para as novas descobertas, para o que o mundo tem para mostrar para a gente, a gente não vai sair do lugar.

Sandy, "O que vi da vida" no programa Fantástico.

Que em 2012...

2 de janeiro de 2012


      
     Que em 2012 eu saiba enxergar respostas mesmo quando as dúvidas me tamparem os olhos, que eu saiba ser vulnerável com as pessoas mesmo quando meu egoísmo gritar por atenção, que eu saiba amar mesmo quando algo me disser que não vale a pena, que eu ouça minha razão mesmo quando meu coração implorar para ser levado a sério.

      Que eu saiba respeitar meus limites, mas ir sempre além para que eu possa me surpreender. Que eu entenda que nem tudo nessa vida foi feito para dar certo, que eu aprenda o verdadeiro valor dos sentimentos, que eu siga pelos caminhos com plena certeza da minha decisão, que eu não caia em mentiras e nem derrame lágrimas em vão.

      Que eu perceba que após as nuvens sempre tem um sol esperando para voltar a brilhar e que eu entenda também que o arco-íris só é perceptível após a chuva. Que eu não esqueça de quem de fato sou mesmo quando o mundo implorar por minha mudança e que eu mude sempre para melhor. Que eu seja tolerante mesmo quando os nervos aflorem na pele e as pessoas insistirem para que eu perca a paciência.

      Que eu consiga colocar todas essas vontades em prática. 


      E, por fim, que 2012 não seja só mais um ano. Que ele seja O ano. Para mim e para você.