Eternas lembranças...

3 de setembro de 2011



Naquele vento frio que batia lá fora, tudo que ela conseguia sentir era sua espinha dorsal se arrepiando lentamente. As lembranças de ontem ainda eram vivas e, para tanto, ela ainda se sentia zonza. Nada que tivesse sido errado ou contra sua vontade. Havia sido mágico, único e ela, de fato, precisaria de uma boa noite de sono agora. Finalmente sozinha, ela percebia que acorrentar dois corações requer muito mais esforço do que simplesmente entrelaçar dois corpos e que, acima de tudo, era também muito mais recompensador.

Reviver as lembranças como se estivessem acontecendo em tempo real era algo que ela conseguia sem esforço nenhum. Até porque, elas faziam parte de um pequeno grupo de situações que provavelmente ela jamais esqueceria. Se fechasse os olhos, tudo voltaria à tona. Era simples. Ligar uma música já era capaz de fazer esses momentos se tornarem eternamente únicos. Porque agora, eles já eram eternos.

Diante de todas aquelas promessas e pensamentos e nitidamente perdida, ela se levantou e em passos lentos caminhou até a porta, certa de que iria atrás da pessoa responsável por todos aqueles sorrisos. Sem arrependimentos ou receios. Iria atrás do amor, sem nem sequer olhar para trás. 

2 comentários:

  1. Determinada. Isso. Gostei muito :}

    ResponderExcluir
  2. Seguindo, adorei aqui *-*
    http://www.analuisa-zc.blogspot.com

    ResponderExcluir

Obrigada!