Pedaços de nós dois

9 de fevereiro de 2011

(...)
_ E ano que vem? Decidiu onde vai morar? –Vi seus olhos brilharem.
_ Na minha casa, ué. É mais fácil pra mim.
_Ah. – Você suspirou e desviou os olhos como fez em todas as vezes que eu lhe disse que não. E foi aí que eu vi a decepção no seu olhar.
Aquelas duas frases não foram necessariamente outro pedido de casamento, mas eu sei que você queria dizer algo como “Vem morar comigo ano que vem então” enquanto sussurrava aquele simples e seco “ah”. O café estava quase frio e eu permaneci em silêncio na esperança de que dissesse mais alguma coisa.
_E daqui a quatro anos? Onde pretende ir?
_Não estou em condições de planejar tão longe assim. – desviei o olhar.
_E se eu te falar que estou disposto a esperar? – Surpreendentemente você me retrucou.
_Eu vou ficar agradecida. – Foi tudo que consegui dizer, mesmo com uma vontade imensa de lhe dizer que você não deve me esperar por tanto tempo assim.
Olhei no fundo do meu copo e desviei o olhar. Eu sabia que meus olhos estavam cheios de água e que você a qualquer momento poderia perceber. Eu não sabia dizer o que era aquilo necessariamente. Era um tipo de amor que eu não conseguia identificar qual. Eu te amo muito e queria te ter por toda eternidade aqui, mas de certo modo eu sentia que não podia lhe prender e que eu precisava te deixar livre para encontrar seu caminho, porque no fundo eu sabia que ele não coincidia com o meu.
E isso me deixava confusa exatamente por não saber quando encerrar essa história e me deixava mais aflita ainda por não saber de que jeito lhe tirar de vez da minha vida. Por fim, levantei da mesa e peguei minhas chaves. Você disse um eu te amo tão suave que eu nem sequer fui capaz de dizer eu também, e você havia percebido isso. Dei-lhe um beijo na testa e disse tchau, com a profunda sensação de que não voltaria aquele apartamento novamente.

(Continua) 

6 comentários:

  1. Não sei se lindo, triste, forte. O melhor de tudo é ser sincero, a começar por você.

    Flores!

    ResponderExcluir
  2. Que lindo. Verdadeiro. Sincero.
    Triste. Tudo.
    Quem ama, apesar de tudo, tem que deixar a pessoa livre.

    ResponderExcluir
  3. qunado eu ia lendo cada pelavra tocou cmgo, prq eu vivo isso, esse lance da espera, as vezes a gente gosta, mas sabe q naum é certo fazer o outro esperar alimentado por um fututo incerto.
    ameiiii de mais!
    parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Me deixou sem fôlego! Adorável, maravilhoso... Me encontro tanto no seu blog; é um refúgio, um lugar que me acalma e conforta. Venho aqui quando sinto que estou a ponto de desistir. Estas palavras que, de certa forma, "escapam da sua mente", fazem com que continue o meu caminho em busca de paz. Estás de parabéns Drielle. Admiro-te muito.

    ResponderExcluir
  5. TRistee... Porem muito lindo!!
    :)
    abraços

    ResponderExcluir
  6. Muito lindo Dreisse. Você escreve muito bem. Parabéns!

    ResponderExcluir

Obrigada!