31 de janeiro de 2011

Era tão claro de um jeito que só eu era capaz de enxergar. Era claro, mas ainda assim confuso. Eu olhava para o céu na esperança de ainda encontrar algo. As estrelas brilhavam tanto e formavam desenhos tão lúcidos na minha cabeça que minha imaginação era capaz de ir além.
E eu sei que não estava sozinha. É. Mesmo que você não estivesse ali e mesmo que não houvesse nenhum laço físico nos ligando... eu sabia que havia algo que nos conectava como se fôssemos um só. Eu te sentia perto, mesmo que tão longe e para isso nem era necessário muito esforço. A gente se completava de algum jeito e nós sabíamos disso.
Quer dizer, eu pelo menos sabia disso.

Novidade!

30 de janeiro de 2011


Oi gente,

Há dias que eu estava querendo separar um post aqui pra vocês contando a novidade. Enfim, acho que a maioria já está sabendo né?! Pra quem ainda não sabe, eu agora sou colaboradora do Site Depois dos Quinze.


Já tem umas duas semanas que a notícia saiu, exatamente um dia antes do meu aniversário. Pulei de felicidade, rs. Mas como agora eu completei dois posts, eu resolvi vim aqui e avisar pra vocês.

Ah, e obrigada pelas visitas e pelos comentários. Ando respondendo todos os comentários agora. *-*
Posts DDQ:
Bom, eu vou deixar separado ali no canto uma área com o link dos meus posts lá. Espero que gostem, porque eu estou amando escrever para o DDQ.

Uma noite que merecia ser apagada...

26 de janeiro de 2011


Sua melhor roupa. Seu melhor sapato. Seu tempo gasto em horas se arrumando e agora, ela volta para casa com seu par de sapatos nas mãos e seu delineador borrado, não mais de felicidade e sim de choro.

Ela sabe que não é o efeito dramático de sua taça de stanhareger com cerveja ou puro sentimentalismo de mais um sábado quase de manhã após uma noite inteira na balada cheia de famosos, bebidas e cigarros. É simplesmente o efeito do conflito entre sua razão e sua emoção. Sua razão sabia que iria terminar assim, mas sua emoção só agora entendeu que é tarde. Não resolve chorar ou se lamentar. Aconteceu. 

O relógio acelera, o tempo voa e ela não se dá conta de nada mais. Aquele ponto de taxi vazio em plena 5 horas da manhã lhe dava medo e havia alguns tontos rodando a rua sem parar. Um turbilhão de pensamentos lhe corria na cabeça e ela via suas expectativas desmoronarem e seus desejos se tornando reais para outras pessoas cada vez que se lembrava de tudo que aconteceu às exatas 01h35min da manhã.

Aquela música, aqueles rostos e aquela sensação vergonhosa ficariam pra sempre. E neste momento, ela só precisa de um jeito de amenizar as coisas porque concertar tudo isso... Ela sabe que é impossível.

Por fim, ela se sentou embaixo daquela placa de ponto de taxi na esperança de que nenhum bêbado viesse mexer com ela e que um carro logo aparecesse. Ela sabia que não tinha mais nada a perder aquela noite. Sua moral e seu respeito haviam sido jogados ralo abaixo como água que escorre entre os dedos de alguém. Por hoje ela só queria curar a ressaca e pensar em um jeito de salvar o resto de amor-próprio que ainda restava.

Cadê você?

22 de janeiro de 2011


Não sei onde você está e nem o que está fazendo. Não sei quais são seus gostos e suas preferências. Não sei se prefere filme de terror ou de comédia, se gosta mais de suco de goiaba ou abacaxi, mas eu sei que você existe. E sei que quando a gente se encontrar vai ser mágico.

Vai ser só eu e você. Não vai ser perfeito e eu nem quero que seja, mas vai ser especial. Vai ter aquela coisa de família no meio, show com os amigos no sábado e filme no domingo. Vai ter aquela coisa de gosto parecido e opiniões opostas em algumas situações. Vai ter aquele joguinho onde ninguém vai dar o braço a torcer e aquelas perguntas idiotas no meio das brigas. Mas, eu sei que vai acabar tudo bem, porque a gente quer que tudo fique bem no final.

Vamos enfrentar obstáculos e seremos cúmplices um do outro. Nos entenderemos pelo olhar e iremos saber quando algo nos afligir. Vamos arrancar risadas intermináveis um do outro também.
Vamos nos amar acima de qualquer coisa, mas agora eu só queria um favor seu: dá para aparecer logo?

Prometo que não vai se arrepender

19 de janeiro de 2011


E aquelas foram palavras daquelas que a gente fala só uma vez e não sabe o que dizer mais. Daquelas que uma vez que já foram ditas, já basta para serem compreendidas e não necessitam de complementos ou repetições. Da mesma forma que meu sentimento, assim que dito uma só vez não precisa ser recontado, mas nem pense que é porque ele nunca muda. Não é isso, não precisa ser repetido simplesmente porque meus olhos já dizem tudo que necessitamos saber.

Da mesma forma que aquelas fotos deduzem algo que nem sequer existe, meus olhos deduzem muita coisa. E eu sei que tudo não vai passar de fotografias e comentários, mesmo que minha alma retorça para que aconteça o contrário. Pois bem, são fotos, deduções, momentos e palavras que mesmo sem necessidade se repetem a cada momento e transparecem algo completamente errado.

Quer realmente algo verdadeiro? Acredite no que eu digo, olhe nos meus olhos e me deixe caminhar junto com você. Prometo que não vai se arrepender.

16 de janeiro de 2011

A vida me ensinou, a dizer adeus às pessoas que amo, sem tirá-las do meu coração. Sorrir às pessoas que não gostam de mim, para mostrá-las que sou diferente do que elas pensam. Fazer de conta que tudo está bem quando isso não é verdade, para que eu possa acreditar que tudo vai mudar. Calar-me para ouvir, aprender com meus erros, afinal eu posso ser sempre melhor. A lutar contra as injustiças. Sorrir quando o que mais desejo é gritar todas as minhas dores para o mundo. A ser forte quando os que amo estão com problemas. Ser carinhoso com todos que precisam do meu carinho. Ouvir a todos que só precisam desabafar. Amar aos que me machucam ou querem fazer de mim depósito de suas frustrações e desafetos. Perdoar incondicionalmente, pois já precisei desse perdão. Amar incondicionalmente, pois também preciso desse amor. A alegrar a quem precisa. A pedir perdão. A sonhar acordado. A acordar para a realidade (sempre que fosse necessário). A aproveitar cada instante de felicidade. A chorar de saudade sem vergonha de demonstrar.
Me ensinou a ter olhos para “ver e ouvir estrelas”, embora nem sempre consiga entendê-las. A ver o encanto do pôr-do-sol. A sentir a dor do adeus e do que se acaba, sempre lutando para preservar tudo o que é importante para a felicidade do meu ser. A abrir minhas janelas para o amor. A não temer o futuro. Me ensinou e esta me ensinando a aproveitar o presente, como um presente que da vida recebi, e usá-lo como um diamante que eu mesmo tenha que lapidar, lhe dando forma da maneira que eu escolher.
(Charles Chaplin)

Meras palavras

13 de janeiro de 2011


O que eu queria mesmo era colocar cada pensamento no papel, nem que fossem fora de ordem e extremamente bagunçados. Queria ser capaz de escrever essas frases aleatórias, mesmo que fossem sem nexo e sem conexão alguma. Só para tê-las no papel e assim, quem sabe, descobrir um sentido pra tudo isso.

Afinal, o que é o amor?

9 de janeiro de 2011


Um dia desses, eu ouvi uma senhora dizer que "amor era fruto da imaginação juvenil e que quando se é velho, você descobre que aquilo não existe". Nessa hora, me atrevi a olha-la no fundo os olhos e me veio uma repentina vontade de dizer algo.

Eu não sou ninguém para julgamentos ou suposições, mas o olhar dela me revelou uma tristeza tão profunda que eu cheguei a sentir algo que nem sou capaz de descrever. Era um olhar vazio e solitário.
Em meio aquele súbito desejo de retruca-la, eu pensei onde esteve guardado todo amor da vida dela. E se eu fosse um pouco mais ousada, eu teria lhe dito algo... Teria lhe perguntado onde ela acha que existe o amor e por que ela acredita que ele não existe. Teria lhe dito que ele está em todo lugar e não é tão complicado de se perceber. Mas uma força maior ainda me mandou calar: ela estava com seu marido e ele, por sua vez, estava na cadeira de rodas.

Pois bem, eu nunca vou esquecer o olhar daquela senhora. Talvez a vida não tenha lhe proporcionado muitas coisas boas e talvez por isso ela esteja desacreditada, mas eu espero que ela tenha se lembrado de mim pelo menor uma vez.

Eu não lhe disse nada, mas meus olhos lhe suplicaram em uma fração de segundos "Por favor, não deixa de acreditar. O amor existe. Eu sei disso, nós sabemos disso."
E cada vez mais, eu quero que o mundo saiba disso. O amor é muito maior do que nossa sã inteligência possa imaginar. É muito mais profundo e está muito mais perto do que nós pensamos. Não deixe de acreditar no amor. Ele é muito maior que nosso mero entendimento, por isso AME sem motivos, sem razões simplesmente.

Aquele dia eu voltei para minha casa mais pensativa do que de costume. Aqueles olhos e aquela mulher me fizeram refletir de um modo que ainda ninguém tinha conseguido.  Afinal, o que é o amor? Eu não sei e acho que nem quero descobrir o significado. Eu quero sentir, porque eu sei que ele existe.

Presente para o blog

7 de janeiro de 2011

Oi gente.
Eu ganhei um selo muito fofo do blog Só podia né?.
Muito obrigada @juusep e seu blog é muito lindo. Você escreve super bem!
Eu teria que indicar para uns blogs, mas como são tantos blogs lindo espalhados por aí... Eu vou deixar aberto pra quem quiser pegar, ok?
Obrigada gente.

Escute, analise, entenda e sinta

5 de janeiro de 2011

Deixar o coração falar. Deixar a intuição sussurrar coisas relevantes ou não, para você. Deixar a emoção tomar conta.  Simplesmente deixar. Permitir e entender tudo que é citado dentro de nós e é ignorado pela fria razão que nos faz crer que estamos sempre certos. Escute, analise, entenda, sinta. Sinta o amor e tudo de bom que há aí dentro para ser decifrado. Vai, deixa a emoção falar. Tentar ainda vale a pena.

"Só que me ensinaram que a gente tinha que fazer o que sentia com o coração. Mesmo se errasse. Porque aí errava o erro certo..." ()

A hora é agora

3 de janeiro de 2011



Você. Pare um pouco e pense no que aconteceu em 2010. Quantas dessas coisas você realmente planejou? Quantos momentos você agradeceu por ter acontecido? Quantas coisas foram acontecendo e fizeram de você alguém mais maduro? Muitos, aposto. Mesmo que não tenham sido os mais excepcionais, mas foram esses momentos que te fizeram ano passado e agora isso tudo vai ficar na lembrança como parte da sua melhor recordação ou da sua pior lembrança. Simplesmente como parte de você.

Agora é hora do começo, recomeço, continuidade ou como preferir chamar. E que atire a primeira pedra quem ainda não fez nenhum plano pra 2011. E você que está aí, ainda pensando em tudo que lhe ocorreu ano passado... Saiba que 2011 é o ano, é o seu ano.

Faça dele o melhor possível, porque ao contrário do que se pensa, não são grandes atitudes, que fazem o seu ano, da mesma forma que não são grandes alegrias que te fazem feliz. O que te faz feliz são pequenos sorrisos, todos juntos na sua memória e o que vai fazer desse ano o melhor da sua vida são esses momentos simples e mágicos, capaz de te rançar sorrisos, risos e capazes de garantir um lugar no seu coração. E esses momentos quem faz é você.

Não tenha medo de ousar, não tenha medo de contrariar a opinião de pessoas que não fazem diferença na sua vida. Aposto que aí dentro de você tem uma pessoa maravilhosa esperando a oportunidade pra fazer acontecer e mostrar que pode ser diferente e cada vez mais cativante. Bom, essa oportunidade chegou e a hora é agora.

Feliz 2011.