Sobre toda essa saudade saudável

20 de dezembro de 2010


São 7 horas de uma noite de segunda feira e o tédio, como sempre, bateu em sua porta. Você resolve arrumar sua desorganizada pasta no seu computador e vai direto a pasta de música. Dentre meio todos aqueles arquivos, você resolve tocar algumas, só pra relembrar. Aposto que você, assim como eu, guarda naquela pasta milhares de músicas que te lembram algum momento da sua vida.

E entre essas músicas, tem uma em especial: aquela música que te lembra aquele garoto. É. Aquele garoto, que já foi muito importante na sua vida, que você perdeu contato, mas que você nunca mais vai esquecer. Aquele garoto que te disse coisas lindas, mas que te abandou nos obstáculos que o relacionamento de vocês enfrentou. Aquele garoto mais conhecido como seu ex-namorado.
Enquanto a melodia da música invade sua cabeça, você relembra de tudo que viveram, todas as brigas, todos os abraços e é tomada por um sentimento quase que inexplicável. Depois de tanto tempo, você se pega sorrindo ao ouvir aquela canção. E aí você percebe que não sente mais nada, que toda aquela intensidade que você dizia tanto sentir, deu lugar a “uma saudade saudável”.

Essa saudade saudável, diferentemente da outra saudade tão bem conhecida, não te faz querer tudo de volta, nem te faz lamentar por ter acabado. Essa saudade te faz ver como aquele momento foi especial e importante pra você ter se tornado quem você é. Ela não te faz derramar lágrimas, mas te faz lembrar-se daquele sorriso que te fazia rir, mas que ainda assim você gosta da idéia de tê-lo longe.
Quer dizer, você não tem mais nada. O que te restou, esta aí, tomando conta da sua cabeça na sua lembrança mais gostosa, naquela caixinha que guarda todos seus momentos e que só te fazem ver como foi bom, que passou e que jamais voltará.

E vai sendo assim, por todas as músicas que você decidiu escutar e relembrar. Relembrar de momentos que te mantém neutra diante dos pensamentos e lembranças que invadem sua memória. Músicas que te fazem ver o quanto valeu à pena e que te fazem agradecer tanto por ter passado. Essa saudade gostosa é a tal da saudade saudável.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada!