Não é necessidade, é vontade

24 de novembro de 2010



Falar de sentimentos que não existem, mas gostaria que estivessem presentes. Hoje, depois de muito tempo, me dei conta de que não há ninguém ocupando meu coração. Vários passaram pela cabeça, mas nenhum quis ou foi capaz de me fazer sonhar, voar.

Sentimentos que não existem, mas que eu amo descrever. Descrever o que eu gostaria de ter comigo, mas não tenho: paixão, noites acordada, esquecimento imediato e coração vivendo no limite da situação.
Tem coisa melhor? Tem. Alguém que supra todas essas vontades. Nada aqui é necessidade. Eu não preciso, eu quero. Poderia simplesmente não querer, mas eu gostaria. Não quero minha metade, quero alguém que complete meu inteiro. Que não queria ser minhas pernas, mas que caminhe de mãos dadas comigo ao meu lado, sem medo ou falsas promessas.

Sentimentos que não existem, mas que eu adoraria ter por perto. Talvez não agora, mais adiante. Andei passando mal com o lado falso desse sentimento e isso não me fez bem. Eu ainda trago sequelas disso.

Tudo no seu tempo, com calma e sem pressa. "Não há nada pra ser apressado ou desesperado." Falo de sentimentos que não existem, mas que já têm uma porcentagem reservada aqui. Na cabeça e no meu coração.
.

Por que querer e não se envolver?

17 de novembro de 2010


Somos muito mais do que aparentamos ser. Não somos só carne e osso. Somo essência, somos olhares, somos o toque, somos nosso sussurro no calar de um dia chuvoso. Somos tanto, que buscamos desesperadamente dividirmos esse ser com outras pessoas, da forma que mais nos agrada. Somos tanto, que sei que qualquer pessoa tem muito mais a nos oferecer do que somente duas horas de conversa e companhia. E digo isso por experiência própria. E me indigno toda vez que penso na facilidade com que umas pessoas esquecem outras.


Se somos tanto, pra que doar tão pouco? Por que se envolver por um ou dois dias, seguir rótulos e simplesmente esquecer o outro? Por que simplesmente se desligar quando se pode criar um mundo que vá conspirar a favor de vocês? Por que? Porque somos humanos e gostamos de nos complicar cada vez mais. Porque somos tanto, mas ainda assim somos capazes de nos esconder dos outros por puro egoísmo, proteção e mais outros milhões de motivos.

E, se queremos nos doar, por que nos esconder?  Ah, o ser humano é muito mais complexo pra ser entendido do que se imagina.

Nós somos realmente muito mais do que parece. Somos toda essa sintonia, todo esse amor e toda essa vontade, mas ainda assim não somos suficiente para que se esqueça de uma sociedade rotulada e para que se entregue a alma sem medo de quebrar o coração.

É como li um dia desses: "Para cada coração quebrado, existe alguém com uma cola na mão." Agora me diz, para que se segurar tanto se o graça da vida é se entregar intensamente?

Tu és jovem.

7 de novembro de 2010

Tua caminhada ainda não terminou. A realidade te acolhe dizendo que pela frente o horizonte da vida necessita de tuas palavras e do teu silêncio. Se amanhã sentires saudades, lembra-te da fantasia e sonha com tua próxima vitória. Vitória que todas as armas do mundo jamais conseguirão obter, porque é uma vitória que surge da paz e não do ressentimento. É certo que irás encontrar situações tempestuosas novamente, mas haverá de ver sempre o lado bom da chuva que cai e não a faceta do raio que destrói. Tu és jovem.
Atender a quem te chama é belo, lutar por quem te rejeita é quase chegar a perfeição. A juventude precisa de sonhos e se nutrir de lembranças, assim como o leito dos rios precisa da água que rola e o coração necessita de afeto. Não faças do amanhã o sinônimo de nunca, nem o ontem te seja o mesmo que nunca mais. Teus passos ficaram. Olhes para trás… mas vá em frente pois há muitos que precisam que chegues para poderem seguir-te.
(Charles Chaplin)
Bjs ;*
Sem inspiração e nem vontade de escrever.
Eu não vou abandonar o blog.
É só fase. Eu espero.

Sobre essa situação que a gente chama de relacionamento

3 de novembro de 2010


“Disk-relacionamentos”, “Mc Donald’s Love” e coisas do tipo. É tudo que me vem a cabeça quando me lembro de relacionamentos. É, porque tudo se tornou muito rápido, fácil, acessível e superficial.
São toques corporais e momentâneos que não são capazes de tocar nosso coração. São relacionamentos feitos de plástico, com digestão lenta. Relacionamentos descartáveis e quase nada duradouros. E menos amor a cada dia que passa. Por quê?

Ah, o por quê? Queria muito saber. Homens afim de um beijo e nada mais. Mulheres afim de se desfazerem de sua carência passageira. E é, são assim que se formam esses laços que nos deixam um vazio cada vez mais. Ninguém quer ter o prazer de preparar aquele jantar incrível onde seus olhos choraram ao picar da cebola, onde você levará tempo, mas terá de recompensa aquele banquete lindo e saboroso. Ao invés disso, todos preferem simplesmente ligar e pedir um X-burguer, aqueles rápidos que não passarão de uma noite e que lhes farão se sentir mal depois.

Todos tememos a insegurança, mas somos tomados pelos “casinhos” simples, rápidos e de um dia só. Porque? Eu sinceramente gostaria de saber. Não me agrada o tipo de relação onde a gente quer comprometer os corpos sem entrelaçar a alma. Cadê a magia? Me diga a onde foi parar, por favor.

Todo dia me pergunto onde estará todo aquele encanto, aquele jogo de conquista e aquela conversa que dura muito mais que 20 minutos antes daquele cara escroto da balada vim te roubar um beijo. E sei que não sou a única. Acho que toda mulher merece um mínimo de explicação quanto a todo esse feitiço que desapareceu com o tempo. Relacionamentos descartáveis e quase nada duradouros. Sem amor, sem conversas, sem carinhos. Toques supérfluos e com data de validade marcada.

Desculpa sociedade, mas eu ainda acredito no amor. E sei que ele está por aí, em algum coração que eu ainda vou descobrir. E sei que não sou a única que se ilude com essa verdade. Até porque, isso não é nem de longe uma ilusão.

60 dias, apenas

1 de novembro de 2010


Hoje de manhã eu acordei pensando em algo que pudesse escrever pra vocês. Algum recado, boas palavras e coisas do tipo. Então me dei conta de uma situação: Hoje é primeiro de novembro e nós estamos a aproximadamente 60 dias de 2011. 60 dias de um ano novo e de uma fase nova pra muitas pessoas.
Nunca fui regada a superstições ou coisas do tipo, e também nunca desejei tanto pela passagem do ano quanto desejo agora. Mas, de um certo modo, hoje eu refleti sobre meu ano.
Ok, muita coisa vai acontecer ainda, afinal ainda temos 60 dias pela frente. Mas, eu parei pra pensar como foi o meu ano e sinceramente não tenho nada a reclamar. Poderia ter sido melhor, como todos os outros. Poderia ter feito muito mais. Mas, ainda não é tarde. Eu sei que ainda dá tempo.
Temos 60 dias pela frente, não temos? Temos muito o que fazer ainda. VOCÊ tem muito pra fazer. NÓS temos muito pra fazer. O que você sempe quis fazer e ainda não fez esse ano? Ah, pois saiba que ainda temos tempo. Temos muito tempo. Temos 1440 horas de muita felicidade, sorrisos e realizações.
Pois, agora eu digo: Se tem algo que queira fazer e não fez por algum motivo... Pois FAÇA. Arrisque-se. Ouse. Viva muito e termine 2010 de forma brilhante. Porque 2011 nos espera loucamente. E o tempo passa, e talvez daqui a um tempo nós vamos nos lamentar por esse tempo que talvez a gente perca. Só depende de nós.
Seja bem vindo, Novembro.