Não minta, por favor

11 de setembro de 2010


E você distorce todas as suas palavras querendo me fazer acreditar em suas mentiras exageradas. E você não faz idéia do quanto eu me seguro para não acreditar. Eu realmente queria que tudo fosse verdade, que cada sentimento que você me diz fosse verdade, mas pudera você ser sincero, pelo menos comigo. Custa muito?

Não precisa mentir, fale a verdade, eu vou entender. As coisas já mudaram e eu sou capaz de esquecer todas as verdades que descobri com o tempo e me afastar de você. Por que insiste em se manter perto, mentindo e tentando me fazer creer em algo oposto do que seus olhos me dizem?

O mínimo de sensibilidade no coração é capaz de perceber que o que sua boca me diz não é o que seus olhos tentam me dizer. Eu sei que não posso, mas eu quero acreditar que desta vez você esteja falando a verdade. Mas, eu ainda sei que não está. Que mente por simples prazer de torturar ou mera incapacidade de dizer não.

Aquele abraço de tempos atrás me fez falta por meses e agora você volta com frases prontas, como se quisesse me fazer esquecer tudo o que eu sei e me fazer viver de mentiras e ilusões. Não, simplesmente não dá.

Vá, me esqueça e não me conte suas mentiras. Pare por aí, antes que eu comece a acreditar no que sua boca me diz, em vez de ler seus olhos. Sério. Eu te entendo, mas simplesmente não minta. Por favor.

2 comentários:

  1. Droga, porque me encontrei tanto nesse texto?
    Dri, ficou lindo, e desculpa a intimidade que não tenho, rs.

    ResponderExcluir

Obrigada!