Contente-se

17 de agosto de 2010


Sou a euforia, a tristeza. A ansiedade e o sofrimento. Eu sou parte do que te faz falta e parte do que te incomoda. Eu simplesmente sou algo que me tornei com um tempo. Batalhas árduas. Dias sem dormir. Lembranças em pleno choro. Sou a ansiedade da espera pelo amanhã, as gargalhadas de um sábado à tarde. Não sou o que você precisa e muito menos o que você quer. Sou simplesmente aquela que toma seus pensamentos em plena tarde sem graça. Eu sou a canção que você não gosta, mas vive repetindo sem querer. Consegue ouvir?
Consegue perceber? Sou quem te faz bem e quem te faz mal. Felizmente me tornei assim. Tomei conta da sua cabeça e agora almejo seu coração. Infelizmente essa mudança deixou rastros. Sei que não basta querer, mas terá que passar a desejar. Já disse: Não importa mais o que quer. Eu te quero, com ou sem seu consentimento. Contente-se.

4 comentários:

  1. Adoro seu blog e é a primeira vez que eu consigo comentar por aqui.
    Sempre que você atualiza, eu apareço por aqui, para apreciar sua escrita. É realmente incrível!
    :*

    ResponderExcluir
  2. ficou muito bom!
    interessante sua descrição,
    é exatamente o que acontece
    com uma pessoa apaixonada.
    De fato uma paixão é "quem te faz bem e quem te faz mal"
    espero ter alcançado uma boa interpretação do seu texto
    ao menos é o que ele me levou
    a pensar!
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Consegue perceber? Sou quem te faz bem e quem te faz mal. Felizmente me tornei assim. Tomei conta da sua cabeça e agora almejo seu coração. Infelizmente essa mudança deixou rastros. Sei que não basta querer, mas terá que passar a desejar. Já disse: Não importa mais o que quer. Eu te quero, com ou sem seu consentimento. Contente-se.
    Isso explica parte do que sinto. Obrigada por escrever tão bem.

    ResponderExcluir

Obrigada!