Intensidade

19 de abril de 2010

Intensidade. Ou é quente ou é frio. Ou é alto ou é baixo. Ou tudo ou nada.

Ah, nem tanto. Contento-me com o morno. Com o médio. Com o quase tudo ou quase nada. Não vivo aos extremos. Só vivo bem. Pode ser sim ou não, ou até mesmo o ‘mais ou menos’. Que seja. Eu acredito em meio-termo. Podemos ser felizes e estar infelizes ao mesmo tempo. Até porque nós sempre estaremos entre. Estamos entre o nascer e o morrer aproveitando o intervalo (Não venha dizer que é mentira, porque não é.).

Quer dizer, eu pelo menos vivo entre... Entre escolher se vou ou se fico, se digo sim ou se digo não. Até mesmo entre saber se estou bem ou se não estou. Confesso que me pergunto sempre. Não vivo aos extremos.

Adoro as palavras. Mas eu gosto do silêncio. Eu gosto muito do silencio. Ele me acalma, e me faz (quase) entender as coisas. E não é simplesmente porque estou curtindo meu silêncio que signifique que eu esteja mal. Talvez esteja tão bem como nunca estive.

Adoro os sorrisos. Mas estou quase sempre chorando. Motivos sem lógica ou qualquer explicação, mas eu choro mesmo assim. Mesmo que tudo esteja tão bem eu choro. Não sei se é felicidade, tristeza... Vai ver é só desejo de chorar.

Adoro companhia. E não me sinto só. Apesar de adorar ficar sozinha também raramente me sinto solitária, mas sei também que quando eu me sentir assim eu sempre vou encontrar um abraço pra me fazer sentir a pessoa mais rodeada do mundo.

Intensidade. Acho que conheço o significado dessa palavra. Quer dizer, eu conheço. Meu coração tem um significado sobre o intenso e sinceramente e pela primeira vez na minha vida, minha razão e meu coração estão de mãos dadas, em perfeita sintonia e perfeita intensidade.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada!