09 outubro 2014

Apenas eu agora

Foto: reprodução/we heart it
Não consigo combinar palavras e tenho dificuldade para assimilar certas coisas. E nem venha achando que sou dona de meias palavras. Inclusive, não junto meias porque ando descalça. E nem tente me calçar. Sou dona do meu próprio sustento.

Não se assuste se eu me afastar. Não vou juntar os cacos que restou dessa vida. Nem os meus, nem os seus. Não levo tempo para largar histórias, trocar o rumo ou apagar lembranças. Sou a gota que escorreu na sua janela depois que a chuva passou. Aquela palavra que te fez engasgar. O nó que sobrou em mim e em você. Não somos laços. Deixamos de ser nós e viramos apenas eu e você.

Lembra que a escolha era nossa?

02 outubro 2014

Sobre sua ida sem volta

Foto: Reprodução/We heart it
Vou te chamar de Paulo. Acho que combina com os olhos azuis e os dois metros de altura que trombaram em mim enquanto eu entrava no ônibus. Acho que combina com o rapaz loiro que deu um sorriso e me cumprimentou como se eu fosse uma velha conhecida depois da gente ter andado de ônibus juntos umas duas ou três vezes. Vou te chamar de Paulo, porque você não me disse seu nome. Vou te chamar de Paulo, porque sumiu depois de dois ou três dias pegando o mesmo ônibus junto comigo e sorrindo toda vez que olhava para o meu rosto. Vou te chamar de Paulo, querido. Porque, como muitos, você armou o circo, fez a festa e foi embora. Sem ao menos se apresentar.

Eu pensei que te encontraria no ponto de ônibus durante toda aquela semana que você não apareceu. Imaginei você me esperando no desembarque, porque você viu que todos aqueles dias a gente desceu junto naquele ponto de ônibus sem nem trocar uma palavra. Imaginei que tivesse percebido que estou no mesmo lugar, na mesma hora, todos os dias. E, diferentemente de você, eu não deixei de aparecer simplesmente.

Da última vez que a gente se encontrou, você apareceu de mala e olhou para mim como se estivesse despedindo. Talvez fosse um turista. Não sei. Talvez alguém perdido vagando de cidade em cidade. Andando de coração em coração. Mas eu queria tanto te encontrar de novo, que não desconfiei que seu sorriso – o mais forte depois de todos aqueles dias – era na verdade uma despedida singela para uma pessoa que nem sequer pode te conhecer.

Paulo, eu queria ter descoberto o seu nome de verdade. Queria ter descoberto que tipo de música escuta, quais filmes assiste e se é tão apegado a livros quanto eu.  Queria que tivesse contado se era mesmo um turista ou se apenas procurava um coração para se abrigar. Se você tivesse se apresentado, eu teria perguntado porque é que você não fica aqui de uma vez. Você podia arrumar a casa, enquanto organizava o coração para você.

Mas, Paulo, você se foi, não é? Eu continuo parando todos os dias, no mesmo lugar e na mesma hora. Continuo fazendo o mesmo trajeto de sempre. Na sua volta, eu ainda estarei lá. Ainda posso te chamar de Paulo? 

30 setembro 2014

Livros para ler até o fim do ano

Foto: Reprodução
Não me lembro a última vez que li tão pouco em um ano. E agora, em setembro, me arrependo amargamente por isso. Para amenizar a situação, resolvi separar seis livros para ler até o fim do ano. Trouxe quase todos da Bienal do Livro de São Paulo, que aconteceu no mês passado, e vocês vão poder conferir também, para cada um, uma resenha aqui no blog. A maioria, como devem saber, não é um lançamento recente, mas todos ainda valem a leitura.
Imagem: Reprodução/Montagem
1) Minha vez de brilhar – Erin E. Moulton (#irado)

“Em uma noite, Indie faz um pedido para uma estrela. Ela quer muito reencontrar a sua lagosta de estimação, e também quer que sua irmã Bibi volte a gostar dela. Mas ter os seus desejos realizados pode exigir dedicação integral! Indie trabalha no teatro durante o dia, mostrando a Bibi e seus amigos o quanto ela pode ser útil. À noite, ela procura sua lagosta perdida, e para isso conta com a ajuda de seu novo grande amigo, Owen. Tudo vai bem até que Bibi e sua turma começam a pegar no pé de Owen, o maior exemplo de nerd e futuro loser. Será que Indie vai conseguir manter em segredo sua amizade com Owen? Será que, para ser uma pessoa melhor, Indie precisa mesmo ser diferente?”

Sabe aquele livro que você compra pela capa? É esse. Adorei a capa do livro assim que a vi e confesso que só li sobre o que falava depois de comprado.


2) Claro sinais de loucura – Karen Harrington (Editora Intrínseca)

“Você nunca conheceu ninguém como Sarah Nelson. Enquanto a maioria dos amigos adora Harry Potter, ela passa o tempo escrevendo cartas para Atticus Finch, o advogado de O sol é para todos. Coleciona palavras-problema em um diário, tem uma planta como melhor amiga e vive tentando achar em si mesma sinais de que está ficando louca. Não é à toa: a mãe tentou afogá-la e ao irmão quando eles tinham apenas dois anos, e desde então mora em uma instituição psiquiátrica. O pai, professor, tornou-se alcoólatra.
Com a chegada do verão em que completa doze anos, ela está cada vez mais apreensiva. Mas a vida não pode ser só de preocupações, e, entre uma descoberta e outra, Sarah vai perceber que seu verão tem tudo para ser muito mais. Bem como seu futuro.”

Outro que me conquistou pela capa e por como ele fala de loucura e amor. Li este antes mesmo de terminar de escrever esse post. Não vou dizer mais nada se não vou entregar todo o meu amor por esse livro. Ops.

3) Era uma vez um corredor – John L. Parker Jr. (Editora Intrínseca)

“Era Uma Vez Um Corredor acompanha a trajetória de um atleta em meio a suas paixões, seus dilemas e sua determinação de vencer. Quenton Cassidy, atleta da Southeastern University, sonha percorrer uma milha em quatro minutos. Quando está prestes a atingir sua meta, porém, a agitação política e cultural provocada pela guerra do Vietnã chega ao pacato departamento de atletismo de sua universidade, mudando de forma repentina o rumo de sua vida, ao se envolver em um protesto organizado pelos colegas, Cassidy é suspenso da equipe de atletismo.
Cassidy abre mão daquilo que seria seu futuro e incluía uma bolsa de estudos e a namorada, para se entregar a um refúgio monástico no campo. Lá, começa a treinar para a competição de sua vida, uma disputa de igual para igual com o maior nome da história das corridas de uma milha.”

Esse foi o único que não trouxe da Bienal. Já comecei a ler umas duas vezes, mas acabava abandonando no caminho. Parece ser um livro interessante exatamente por falar da paixão pelo esporte e a superação. Estou ansiosa para recomeçar a ler.

4) Diários de Aventuras da Ellie – Ruth McNally Barshaw (Editora Ciranda Cultural)

“Quando os pais da Ellie vão viajar, ela é obrigada a acampar com sua tia, seu tio, seus primos e seu irmãozinho Ben-Ben. Ela sabe lidar com pernilongos e reconhecer plantas venenosas, mas dividir uma cabana com seus parentes irritantes? De jeito nenhum! Entre as regras duras de sua tia e as brincadeiras sem graça de seu primo Eric, Ellie precisa de seu diário para sobreviver a essas férias em família!”

Quando folheei o livro na Bienal, confesso que ele me ganhou pelas ilustrações que estão dentro. Eu amo livro ilustrado! E, além disso, história de Ellie parece ser bem engraçada.

5) Vida Organizada – Thais Godinho (Editora Gente)

“Em seu primeiro livro, Thais Godinho mostra ao leitor as melhores maneiras de organizar a rotina e a vida. Embora a palavra “organização” pareça estar ligada a uma realidade utópica, com as instruções da autora, viver em paz com as coisas no lugar ficará surpreendentemente fácil.
O livro aborda a organização da casa, do trabalho e de todos os itens fundamentais para deixar o dia a dia mais tranquilo e, principalmente, para que o leitor possa ter muito mais tempo para a família e o lazer.”

Já acompanho a Thais no blog e comprei o livro porque ter todas as ideias de organização reunidas em um só livro me agradou mais que qualquer coisa. Esse eu já estou quase terminando e, apesar de já aplicar muita coisa na minha vida, o livro tem me ajudado muito. Em breve eu conto mais!

6) O começo de tudo - Robyn Schneider (Editora Novo Conceito)

“O garoto de ouro Ezra Faulkner acredita que todo mundo tem uma tragédia esperando ali na esquina – um encontro fatal depois do qual tudo o que realmente importa vai acontecer. Sua tragédia particular esperou até que ele estivesse preparado para perder tudo de uma vez: em uma noite espetacular, um motorista imprudente acabou com a perna de Ezra, com sua carreira no esporte e com sua vida social.  Ezra agora almoça na mesa dos losers, onde conhece Cassidy Thorpe. Juntos, Ezra e Cassidy descobrem flash mobs, tesouros enterrados e um poodle que talvez seja a reencarnação do Grande Gatsby. Agora, ele precisa considerar: se uma tragédia já o atingiu, o que poderá acontecer se houver mais infortúnios?”

Quando comprei esse, também foi pela capa. Mas me encantei com o assunto do livro. Com certeza é o próximo que vou ler.

Livro bônus: Fora de mim – Martha Medeiros (Editora Objetiva)
Foto: Reprodução
“Recém-separada de um casamento longo e pacífico, a protagonista se apaixona loucamente, embora não cegamente, por um outro homem, de personalidade conturbada, com quem vive uma intensa paixão. Consciente do mergulho, a mulher pressente que no fundo daquela relação só acabaria encontrando a escuridão da dor. Mesmo assim, dá o salto. E perde. A entrega é um vício sem saída.”

Como eu amo esse livro! Antigo, porém lindo. Já li, no mínimo, umas seis vezes e sempre que quero esquecer completamente de tudo, eu mergulho nessa história linda da Martha Medeiros. É perfeito para aqueles momentos de tristeza profunda (caso queira mesmo se render ao choro) ou simplesmente para esquecer todo o resto.

Assim que for lendo, trago resenha de todos. Você já leu algum desses livros? Me conta o que achou!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Facebook Twitter Instagram